Entrevista

Sr. Padre Bruno Dinis

5 Outubro 2016

Identificação: Bruno Dinis Moreira da Silva

Naturalidade: Rebordosa (Paredes)

Ascendência: filho de António Ferreira da Silva e Maria de Fátima Moreira dos Santos.

Local de férias preferido, música preferida, prato preferido, personalidade de quem simpatiza, desporto favorito e clube, cidade preferida, país de sonho, com que regularidade usa a internet?

Não tenho preferência por um único sítio de férias, mas por vários: a Caminho de Santiago! Ouço música portuguesa e estrangeira, com incidência para cânticos de Taizé, Marco Frisina, Pearl Jam e Quinta do Bill. À mesa não tenho preferências, porque o importante é que haja comida (e que fosse para todos!…). Simpatizo com o Papa Francisco, mas a personalidade de referência é Jesus Cristo. Quanto a desporto, aprecio o ciclismo e sou azul e branco J! Como tal, prefiro a cidade do Porto. Sonho em ir à Terra Santa. Enquanto tal, vou aprofundando essa vontade através da meditação da Bíblia, também com o apoio da internet, que consulto diariamente.

Centros de Ensino frequentados: Escola Primária da Lage, Escola EB 2-3/S de Rebordosa e Escola Secundária da Feira. Na Faculdade, fiz a licenciatura em Teologia na Universidade Católica, o mestrado em Discernimento Vocacional e Acompanhamento Espiritual e a pós-graduação em Especialista Universitário em Exercícios Espirituais no Instituto de Espiritualidade da Universidade Pontifícia de Comillas, em Salamanca.

Como despoletou a vocação ao sacerdócio.

A vocação foi percebida pelo sonho de ser missionário em África, ao ver testemunhos de outros missionários que deram a vida por Jesus naquelas terras.

A família aceitou de bom grado a ida para o Seminário?
Sim, mesmo que não todos da mesma forma.

Ano em que celebrou a primeira Missa e, onde foi.
A 19 de Outubro de 2008 (dia de S. Paulo da Cruz e, naquele ano, também dia Mundial das Missões) fui ordenado presbítero no Seminário Passionista de Santa Maria da Feira, onde concelebrei com D. Manuel Clemente (bispo ordenante); uma semana depois foi a “Missa Nova” na minha terra natal.

Uma sucinta mas esperançosa frase de incentivo vocacional ao sacerdócio.
“Quem quer o que Deus quer, tem tudo quanto quer.”

Locais onde exerceu a pastoral.
Barroselas, Feira, Linda-a-Velha, Saragoça e Viana (Angola).

Qual o cargo ou função que o marcou mais pela positiva?
O atendimento aos peregrinos no Santuário de S. José de Calumbo, em Viana (Angola).

Qual o seu balanço que faz do tempo que passou na União de Freguesias de Barroselas e Carvoeiro?
Muito positivo, sobretudo pela envolvência com a comunidade local.

Contar a vida numa palavra: Alegria.

Narre a melhor coisa que fez na vida: encontrar um sentido para a vida.

A que mais lhe custou a fazer: ter que deixar um bem (pelo bem maior).

Uma síntese de cargos que exerceu até hoje.
Formador no seminário menor, vice-pároco da Santa Cruz e vice-reitor do Santuário de S. José de Calumbo, em Viana (Angola), presidente da direcção do Grupo S. Paulo da Cruz.

Sente e tem noção das carências de todos os jovens desamparados?
Percebo a falta de horizonte num futuro sem perspectiva de trabalho, mas muito mais quando não há um projecto de vida.

Esforce-se, e conceda-nos um sucinto retrato do seu imenso coração.
No meu coração Deus criou lugar para aqueles que o procuram, mas nem sempre consigo abrir a sua porta…

Projetos em vista no imediato. Também pergunto para o futuro?
Actualmente, a missão que me foi confiada está ligada à juventude e vocações, seja na Juve Passio, no Voluntariado Passionista, Escuteiros, etc. O futuro a Deus pertence…

Uma palavra de ânimo e de solidariedade ao Mundo.
Dar passos em direcção a quem nos chama!

Uma mensagem de apelo à fé cristã.
Acreditar em Jesus Cristo é procurar uma relação pessoal, numa comunidade de fé que é a Igreja.

Uma frase sobre Sua Santidade o Papa Francisco.
Uma pessoa de Deus para o mundo, que vive em guerra, na Igreja que ele define como um “hospital de campanha depois da batalha”.

Sr. Padre Bruno Dinis


PUB
PUB

Últimas [Sociedade]