Extratos da vida
mm
Domingos Costa
Colaborador
domingoscunhacosta@gmail.com

Extratos da vida da irmã Maria da Conceição Pinto da Rocha (artigo nº 4)

30 Março 2017

Em resultado da generosidade e amor dedicado a Deus e ao próximo, as súbditas da Serva de Deus, uniram-se, e, enveredaram esforços para colocar Maria da Conceição no consagrado e merecido pedestal.
Assim, a 10 de Maio de 1988, fizeram chegar a “…Roma o nibil obstat para a Introdução da Causa de Canonização da Serva de Deus.”

Decorrido exatamente um mês, é decretada a Introdução da Causa, por Sua Excelência Reverendíssima o Bispo D. Armindo Lopes Coelho, Bispo na altura, em Viana do Castelo.

A 23 de Março de 1989, no ano centenário de nascimento de Maria da Conceição, foi investido o Vice-Postulador da Causa. Dir-se-á ainda, – porque era merecida a Causa, – logo a 15 de Junho, foi aberto o processo, bem como a tomada de posse do tribunal eclesiástico.

Ainda no mesmo ano, a 16 de Dezembro, dia de nascimento de Maria da Conceição, o referido dia, com a graça de Deus foi comemorado de forma efusiva e festiva.

Um pouco mais tarde, em 1991, é emitido o primeiro boletim relativo à Causa com o título: “Grão de Trigo”. Esse boletim, – pelas mensagens contidas, – obteve resultados dignos de jubilo.

Três anos depois, em Junho, foi publicada uma pequena biografia da Serva de Deus. Esse bolo espiritualmente maravilhoso, foi elaborado pelo Vice-Postulador da Causa, tendo-lhe sido atribuído o título “SEMENTE ESCONDIDA”.

Estimado leitor, como a Semente Escondida, produziu o efeito desejado, o novo passo seria apresentar ao Mundo algo cativante. Depois de muito bem trabalhado, em Novembro de 2003 os devotos e simpatizantes da Serva de Deus, tiveram o prazer de saber mais da alma da Maria da Conceição, através da primeira edição do livro “VIDA EM PLENITUDE DE AMOR”.

Em 2008, com união de esforços dos que sempre apadrinharam a Maria da Conceição, com nostalgia celebraram o Cinquentenário da sua morte.

O encerramento da Causa de Canonização da Serva de Deus, teve lugar em Fevereiro de 2010. O Processo desta grande Irmã, neste momento, encontra-se em Roma ao cuidado do Postulador, Ver.do Padre Toni Witwer, S.J.

Considero justo apresentar, a oferta de uma mensagem da Serva de Deus ao leitor: “Mostra-me o Senhor não serem multidão as Religiosas. Multidão e muito grande será a dos leigos que, vivendo no Mundo, se hão-de filiar nesta Obra, na sua secção de Agregados”.

Ao ser mencionado a palavra de Agregados, será dever anunciar que anualmente se reúnem, com a designação de “Festa de Família”. Também, é digno de registo mencionar, que, em Portugal, o maior número de agregadas encontram-se concentradas nas dioceses de Lisboa, Viana do Castelo, Açores, Porto e Braga. Também, muitas outras espalhadas por outros lugares, que, Maria da Conceição, – a Fundadora -, disse simbolizar “multidão”. Acrescentarei ainda, que muitas outras agregadas se encontram a nível internacional: Brasil, Estados Unidos, Canadá e França.

A Fundadora, também foi clara ao dizer que, as Agregadas ao estarem unidas nos compromissos espirituais, que juntamente com as Religiosas formam um só corpo na vida da Expiação Redentora, porque, a devoção das Agregadas ao entregarem a Deus o seu coração – mesmo sem votos -, vivem intensamente o espírito dos conselhos evangélicos. Ou seja, a sua entrega é de tal ordem que, consagram a pobreza, castidade e obediência em função da sua condição de vida. Sem nunca desprezar o verdadeiro sentido dos deveres Cristãos, entrando livremente no caminho de crescimento e de santidade.

 


PUB
PUB

Últimas [Opinião]