Neves

Colóquio: “A Cultura Popular – Sentidos e Lugares”

22 Maio 2017

A segunda das três sessões reflexivas, que decorrerá na noite do 27 de maio, terá lugar em Vila de Punhe, mais concretamente na sede do Neves F. C. (Largo das Neves). “A Cultura Popular: Sentidos e Lugares” é o tema lançado para um momento de reflexão sobre a cultura popular.

O município vianense e o vale do Neiva valorizam, afirmam-se e são reconhecidamente férteis em cultura popular. Por isso, talvez não seja de estranhar a familiaridade do conceito (embora sujeito a múltiplas interpretações) nem a pertinência deste colóquio. Nesse sentido, e num local de eleição para a cultura popular, em virtude, sobretudo, do Auto da Floripes, será lançado o mote para uma reflexão e uma partilha sobre as raízes, a importância e os desafios da cultura popular, bem como sobre a sua versatilidade e as suas dimensões.

Obrada ou assimilada, moldada e transmitida pelo povo, e aberta a múltiplas influências, a cultura popular manifesta, na sua abrangência e diversidade, uma forte capacidade de se libertar e permitir criatividade e resiliência. Daí que não deva ser vista como estática nem como a parente pobre da cultura dita erudita, até porque, para além de retratar vivências e de participar na construção dessa cultura normativa, a cultura popular assume-se como um esteio de coesão e identidade e um caminho para o desenvolvimento e afirmação das comunidades.

A cultura popular vive além do produto final, uma vez que valoriza o processo, o artista e a produção da própria comunidade. Ainda assim, o facto de ser popular não deve constituir um entrave à adaptação e à inovação, como também ao apuro técnico e ao aperfeiçoamento. A cultura popular sobreviverá sempre que procurar refletir os anseios e as vivências das suas sociedades na contemporaneidade.

O painel de oradores, que será moderado pelo comediante do Auto da Floripes, Luís Franco, será composto pelos seguintes convidados: Domingos da Calçada, memorialista e contista; Álvaro Campelo, Antropólogo e Professor Universitário; e o Padre Fontes, historiador e divulgador da cultura do seu povo através de eventos e da publicação de livros, monografias e artigos em jornais; sendo ainda o principal impulsionador do Congresso de Medicina Popular, em Vilar de Perdizes, e das “Sextas-Feiras 13”, em Montalegre. No final do colóquio, junto ao Cruzeiro Bicentenário, o Padre Fontes fará o esconjuro e será servida a popular “queimada galega”.

A organização está a cargo do Núcleo Promotor do Auto da Floripes 5 de Agosto e das autarquias de Vila de Punhe, Barroselas e Carvoeiro e Mujães.

 

Programa provisório:

21H30 – Abertura:
António Costa – Presidente da Junta de Freguesia de Vila de Punhe
Pedro Rego – Presidente do Núcleo Promotor do Auto da Floripes 5 de Agosto
José Maria Costa – Presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo

Moderador: Luís Franco

21H45 – Domingos da Calçada

22H15 – António Lourenço Fontes (Padre Fntes)

22H45 – Álvaro Campelo

23H15 – Debate

23H30 – Esconjuro pelo Padre Fontes e Queimada Galega

23H30 – Encerramento


PUB
PUB

Últimas [Região]