Saúde
mm
Ana Sofia Portela
Enfermeira
enf.anasofia@gmail.com

Diarreia do Viajante: Como prevenir

15 Junho 2017

Julho e Agosto são os meses de excelência para as férias. Neste sentido, optei por escrever sobre um tema que pode estragar as férias, principalmente, aquela viagem há muito esperada.  Estou a referir-me à diarreia do viajante, uma das situações mais frequentes nas férias e viagens. A melhor forma de prevenção da diarreia do viajante é ter alguns cuidados em relação à higiene, água e alimentos. O mais importante é optar por alimentos com menor risco de contaminação e lembrar-se que nem sempre se pode comer quando, onde e o que se quer.

A Direçao-Geral de Saúde apresenta uma série de dicas para evitar que a Diarreia do Viajante surja, as quais passo a enumerar:

Em relação aos alimentos:

  • Consumir preferencialmente alimentos frescos e cozinhados na hora e no caso de ter dúvidas sobre a proveniência dos mesmos não os consumir;
  • Evitar alimentos cozinhados que tenham sido mantidos à temperatura ambiente durante várias horas;
  • Ingerir apenas alimentos bem cozinhados e, se possível, ainda quentes;
  • Evitar alimentos crus (p.e. mariscos e saladas);
  • Lavar bem e descascar a fruta antes de a comer evitando as saladas de fruta, bem como frutos cujo exterior não esteja intacto;
  • Só preparar saladas depois de mergulhar os alimentos durante 30 min num recipiente com 5 gotas de lixívia por litro de água;
  • Evitar alimentos que contenham ovo cru ou mal cozinhados (maionese, certos molhos e sobremesas);
  • Evitar alimentos adquiridos a vendedores ambulantes;
  • Escolher locais com boas condições de higiene e em que os produtos facilmente alteráveis pelo calor (bolos, molhos, guisados, produtos à base de leite e de ovos, mariscos, entre outros) se apresentem bem conservados em câmaras ou montras frigoríficas;
  • Lavar bem os alimentos e não deixar fora do frigorífico aqueles que devem ser refrigerados;
  • Lavar bem as mãos antes e depois de manusear alimentos. Ter o mesmo cuidado com os utensílios utilizados na preparação: talheres, tábuas de cozinha, bancadas, etc.
  • Respeitar os prazos de validade dos produtos e acondicionar corretamente os alimentos.

Em relação à água e outras bebidas:

  • Beber água engarrafada (verificar se o selo está intacto) ou água fervida;
  • A água engarrafada deve ser descapsulada somente no momento em que é servida;
  • Utilizar água engarrafada ou fervida para confecionar sumos, gelo e ainda para a escovagem dos dentes;
  • As bebidas engarrafadas ou empacotadas desde que seladas e as bebidas quentes (chá e café) são em geral seguras;
  • Consumir apenas produtos lácteos pasteurizados.

Deve sempre haver uma boa ponderação destes fatores, e na dúvida, é melhor não arriscar. Principalmente, pessoas que tenham maior sensibilidade para alterações gastro-intestinais, devem ter especial atenção, embora sejam as diarreias as situações mais frequentes, pode surgir a obstipação, a flatulência, as náuseas ou os vómitos, que se revelam também incómodos. Lembre-se que pode ser difícil encontrar uma casa-de-banho ou até se encontrar, pode não se sentir descontraído o suficiente para regularizar o trânsito intestinal.

Contudo, mesmo com estes cuidados pode surgir alguma situação por isso é importante levar na sua mala alguma medicação, nomeadamente, para o enjoo do movimento (p. e. metoclopramida), para a diarreia (p. e. loperamida), para a obstipação um laxante suave (tipo lactulose), sacos de plástico (para vómito), lenços de papel descartáveis e toalhetes de higiene íntima (para um melhor aconselhamento sobre a medicação fale com o seu médico assistente).

Votos de boas férias e boas viagens!

Enf. Ana Sofia Portela

 


PUB
PUB

Últimas [Opinião]