Domingos Costa
mm
Domingos Costa
Colaborador
domingoscunhacosta@gmail.com

Ordenação Presbiteral na Diocese de Viana do Castelo

5 Agosto 2017

A Diocese de Viana do Castelo, celebrou no dia 23 de Julho de 2017, mais uma Ordenação Presbiteral.

O Ordenado Padre, foi Vítor Manuel Rodrigues Gonçalves Rocha, natural da paróquia de São Pedro e São Paulo de Serreleis. A partir de agora, a Diocese conta com mais um Pastor ao serviço da humanidade. Este novo Padre estagiou na Paróquia de Barroselas e Carvoeiro.

Às 15h30, deu entrada o corpo Eclesiástico na Catedral de Viana do Castelo, cantando: Eu cuidarei das minhas ovelhas.

A cerimónia prosseguiu com Glórias a Deus nas alturas e paz na terra aos homens por Ele amados.

A Liturgia da Palavra, incidiu sobre o Livro da Sabedoria, da sua ligação com o poder, e “…que o poder é o princípio da justiça”.

O Salmo Responsorial, sensibilizou os crentes: “Senhor, sois um Deus clemente e compassivo. Vós, Senhor, sois bom e indulgente, cheio de misericórdia para com todos os que Vos invocam. Ouvi Senhor, a minha oração, atendei a voz da minha súplica…”

O Sr. Bispo Dom Anacleto, falou da “Paciência”, e da sua importância, porque, indelevelmente interfere no amor, respeito, bondade, e, da sua ligação à Misericórdia, Compaixão e Fidelidade. Também falou, da “Parábola” da boa semente lançada à terra. Lembrando que, nessa noite o inimigo lançou – também à terra – o joio para que crescesse aquando o trigo.

Porém, o dono, ao ser informado do sucedido, deu ordens para só arrancarem o joio na altura da colheita e queima-lo. Só depois, tirar o trigo e guarda-lo no celeiro.

Esta Parábola, traça sucintamente o mundo e o seu fim. Esse fim, concretiza-se com os Anjos como ceifeiros na colheita. O mesmo dizer, “…separar os bons dos escandalosos”, bem como, “…os inquinados pela prática da iniquidade”.

De seguida dá-se uma conversação entre o Reitor do Seminário e Dom Anacleto sobre a veracidade da dignidade e vocação do esperançoso Presbítero para a sua ordenação.

Concluída positivamente a conversa, Dom Anacleto procede de imediato a diversas perguntas, relativas à sua absoluta convicção, para que a ordenação que se avizinha seja determinante como mensageiro de Deus e servir a humanidade.

Interrogatório concluído com sucesso ao ainda Diácono, seguidamente, deita-se no chão em frente do Sr. Bispo, como sinal de profunda humildade e docilidade em relação à grandeza de Deus.

Os presentes, levantam-se a convite do Sr. Bispo para rezar: “Oremos, irmãos caríssimos, a Deus Pai todo-poderoso, para que conceda a abundância dos dons celestes a este seu servo que Se dignou escolher para o ministério do presbiterado”.

 

 

Após o canto das ladainhas, o Sr. Bispo diz: “Senhor Nosso Deus, ouvi as nossas preces: concedei a este vosso servo que Vos apresentamos para ser consagrado, a bênção do Espirito Santo e o poder da graça sacerdotal, e favorecei-o sempre com a riqueza dos vossos dons”

Findado este ato, o eleito a presbítero ajoelha-se e o Sr. Bispo e todos os presbíteros de estola, um de cada vez, impõem as mãos na sua cabeça. Depois o Sr. Bispo diz a Oração de Ordenação.

A Ordenação a Presbítero é consumada com Unção das mãos e entrega do pão e do vinho. Por isso, o Ordenado, coloca a estola à maneira Presbiteral, bem como as respetivas vestes, e, ajoelha-se perante o Sr. Bispo para ser ungido com o santo crisma nas palmas das mãos. O Sr. Bispo diz: “O Senhor Jesus Cristo, a quem o Pai ungiu pelo Espirito Santo e seu poder, te guarde para santificares o povo cristão e ofereceres a Deus o sacrifício”. A finalizar sucede o lava mãos, e o Sr. Bispo entrega ao novo Presbítero o ósculo da paz, dizendo: “A paz esteja contigo”.

Deus, acolheu o eleito no seu regaço, indicando-lhe o início do longo e tortuoso caminho Apóstolo a seguir.

Rezemos por ele.

 

 

 


PUB
PUB

Últimas [Opinião]