Dr. Jorge Neves

Viver com espondilite anquilosante

5 Agosto 2017

Atitude Positiva

Viver com Espondilite Anquilosante nem sempre é fácil. Terá dias melhores e dias piores. Apesar de ser, por vezes, difícil é importante que tente manter o seu pensamento positivo. Algumas pessoas referem que o stress agrava os seus sintomas. Provavelmente isto acontece porque o stress afeta o seu organismo de várias formas e pode reduzir a resistência à inflamação ou aumentar a tensão muscular.

Existem muitas maneiras de lidar com o stress – sentar-se a ler um bom livro, dar um passeio, conversar com um amigo. Também poderá encontrar uma terapêutica de suporte complementar, como a massagem. Encontre uma forma de relaxar e lembre-se de arranjar tempo para o fazer.

Além do relaxamento, existem outras formas de se ajudar a si próprio a sentir-se mais otimista e a controlar a sua Espondilite Anquilosante.

 

PROCURE APOIO DE UM PROFISSIONAL

Poderá conversar com um terapeuta que conheça bem a Espondilite Anquilosante ou outras doenças crónicas. Poderá também procurar um grupo de apoio onde terá oportunidade de conhecer outras pessoas com Espondilite Anquilosante. Por vezes é útil partilhar os seus sentimentos com alguém que compreende aquilo porque está a passar, mas que não seja um familiar ou um amigo.

 

EDUQUE-SE A SI PRÓPRIO

Quanto mais souber sobre a sua Espondilite Anquilosante melhor poderá controlar a sua condição. As ciências médicas estão continuamente a evoluir no tratamento da Espondilite Anquilosante. É importante que esteja a par destes avanços.

 

FORTALEÇA AS SUAS PRÓPRIAS CAPACIDADES

Tome uma atitude perante a Espondilite Anquilosante, assumindo-se como o principal defensor da sua saúde. Garanta que está a tomar a sua medicação tal como prescrita e mantenha o seguimento na consulta de reumatologia.

 

MANTENHA UM PESO SAUDÁVEL

Manter um peso saudável irá reduzir o esforço adicional da sua coluna vertebral e outras articulações. É essencial manter uma dieta equilibrada para a sua saúde geral e vitalidade. Consulte sempre o seu médico antes de começar uma nova dieta.

 

TENHA UMA VIDA ATIVA

Qualquer atividade que aumente a sua frequência cardíaca poderá ter um efeito calmante. Mesmo o exercício físico moderado ajudará a aliviar o stress através da libertação de endorfinas no seu organismo. Pensa-se que as endorfinas promovem uma sensação de bem-estar e poderão aliviar temporariamente a dor. Consulte o seu médico antes de começar qualquer programa de exercícios.

 

ESTABELEÇA AS SUAS PRIORIDADES

Estabelecer prioridades e gerir o seu tempo de uma forma sábia poderão ajudá-lo a reduzir o stress do dia-a-dia e melhorar a sua atitude.

Pergunte a si próprio o que é efectivamente importante

Identifique aquilo que não tem interesse

Se acha que faz demasiadas coisas, avalie de forma honesta onde é que pode reduzir compromissos

Aprenda a dizer “não” em algumas ocasiões

Realize as tarefas mais difíceis quando tiver mais energia ou quando tiver ajuda

Lembre-se de pedir ajuda

Planeie momentos de diversão diários

 

RESPIRE

Respirar fundo, fazer alongamentos suaves ou, simplesmente, pensar em coisas agradáveis, poderá ajudá-lo quando se sentir tenso. Se sentir que está a ficar ansioso numa determinada situação, tire um momento para se abstrair e relaxar.

 

LEMBRE-SE DE RIR

O riso pode fazer com que tudo pareça menos importante, dando ao seu otimismo um novo alento. Ligue a um amigo divertido e converse sobre assuntos triviais ou alugue um filme engraçado. Pode parecer um cliché mas uma gargalhada pode mesmo ser o melhor remédio.

 

FALAR SOBRE A SUA ESPONDILITE ANQUILOSANTE

Irá lidar de forma positiva com a sua Espondilite Anquilosante se for capaz de falar sobre ela com os outros, ou seja, o seu médico, a sua família e amigos ou os seus colegas. Não fique constrangido. A Espondilite Anquilosante é uma doença crónica e as pessoas que o rodeiam precisam de saber como é que a doença o afeta e como é que poderão ajudar.

 

FALAR COM OS SEUS MÉDICOS

Poderá ter de consultar o seu reumatologista várias vezes antes de ter a confirmação do diagnóstico e, posteriormente ter de regressar para avaliação regular do seu estado. Por isso, é importante que construa uma boa relação com o seu médico, o que significa ser capaz de conversar com ele sobre a sua doença.

A comunicação é a chave para conseguir o melhor tratamento possível, por isso tente:

Ser honesto com o seu reumatologista sobre a sua doença. Conte-lhe os seus reais hábitos de exercício e se está a cumprir o plano de tratamento que lhe foi proposto. Conte-lhe também se está a passar por alguma situação de stress no trabalho ou na sua vida pessoal.

Informar-se sobre a Espondilite Anquilosante para que possa colocar questões relevantes ao seu médico.

Preparar cada consulta levando uma lista com as questões a colocar.

Tomar notas sobre as informações importantes da consulta ou pedir ao seu reumatologista para as registar.

Se necessário levar um familiar ou um amigo consigo para o ajudar a lembrar-se daquilo que foi combinado.

Se não compreendeu alguma coisa, não tenha medo de pedir ao seu reumatologista para voltar a explicar ou para anotar num papel.

 

FALAR COM A SUA FAMÍLIA E AMIGOS

As pessoas com doenças crónicas precisam do apoio da família e dos amigos. Por essa razão é importante que fale com eles sobre a sua Espondilite Anquilosante e sobre a forma como a doença o afeta. Muitas pessoas não conhecem a Espondilite Anquilosante ou têm ideias erradas sobre esta doença.

Educar a sua família e amigos permitir-lhes-á serem membros ativos da sua equipa de apoio. Se for honesto sobre os seus sentimentos e sobre aquilo por que está a passar, a sua família e os seus amigos compreenderão que o seu apoio é necessário e reconhecido.

Se sentir que não consegue falar com os seus amigos e com a sua família sobre a sua Espondilite Anquilosante, porque não indicar-lhes este site?

 

FALAR COM OS SEUS COLEGAS

Muitas pessoas tentam esconder a sua doença do seu patrão ou professor, dos seus colegas de trabalho ou colegas de escola. No entanto, educar as pessoas com quem trabalha ou estuda poderá ajudá-lo a obter o apoio que precisa.

Seja honesto sobre a sua doença e peça uma dispensa ao trabalho se achar que precisa. Poderá precisar de ter a flexibilidade de trabalhar ou estudar a partir de casa em algumas ocasiões, ou talvez necessitar de uma cadeira especial para a sua secretária. Não tenha medo de pedir aquilo que precisa. O seu patrão ou o seu professor sentir-se-ão satisfeitos por poderem contribuir para o seu conforto.

 

 


PUB
PUB

Últimas [Saúde]