Religião

Maria da Conceição: o caminho para a redenção da humanidade

31 Agosto 2017

Maria da Conceição, ao ter absoluta segurança que Deus é seu tutor, dono e pai absoluto da sua alma, leva-a a ter mais coragem na sua abnegada e fiel caminhada.

Ao entregar-se totalmente à causa de Deus, também vigorosamente pedia, que gostaria de estabelecer um contrato com o bondoso Deus. Dizendo muitas vezes, que preferia sofrer a “dor” para que Deus “…seja mais amado, mais louvado, mais reparado, mais servido, menos ofendido e desprezado.”

Todavia, é importante relembrar, que queria “…a dor, não pelo amor à dor, ao sofrimento em si mesmo, pois isso não era humano nem cristão, mas quer a dor por causa do amor, ou seja para ela própria amar mais, para ajudar a que a vida dos outros tenha mais amor por Jesus, pelo seu Deus e Senhor. Amor que a leva a desejar mais dor; dor que leva a ter mais amor…”

Por isso, é que Maria da Conceição veementemente solicitava à humanidade, para viver dignamente com Deus. Desse modo, conseguia promover uma ternurenta e indelével paz espiritual. Depreende-se, então, que é este um amor na “…vida crucificada, em dor, para gerar mais amor, para gerar mais vida, para ser instrumento para que os outros amem mais e melhor”. Acrescenta ainda: “Amem a Deus que é Amor e amem os homens por amor desse Deus que foi à morte de cruz para remir e salvar a humanidade.”

Deus, ao lhe legar o talento para suportar a graça sofrida “amassada em dor”, e, com alegria sentir “…em seu ser, em seu corpo, em sua alma, no seu interior, a dor…”, Maria da Conceição abriu, pelo seu exemplo de vida, o caminho para a redenção da humanidade.

Domingos Costa

 


PUB
PUB

Últimas [Sociedade]