Caminhos de Ferro

Caminhos de Ferro nº25

22 Setembro 2017

Em continuidade do artigo anterior, paço a citar, que, no dia 4 [1]de Dezembro de 1871, “…ocorreu um conflito entre o Diretor da Fiscalização Geral do Governo e o Diretor da Companhia, Le François, saindo este, do cargo que exercia. Pouco tempo depois, o Sr. Engenheiro de 1.ª classe, Manuel Afonso de Espregueira, foi nomeado, pelo conselho da companhia, como diretor do serviço especial”.

Foi agradável ver um engenheiro Português – e, de origem Viana – ocupar o cargo, é claro que, a sua indigitação foi de certa forma influenciada, pela sua competência. É necessário, também, ter em conta, que foi antigo aluno da escola de pontes e calçadas em França.

Dir-se-á, ainda, que foi estabelecido 1em Assembleia e escrito em ata no dia 17 de Abril de 1872, “…que o Diretor Interino, Sr. Espregueira, passasse a exercer definitivamente as funções de Diretor da Companhia, com ordenado fixo de 15.000 francos anuais e mais 3.000 francos de gratificação ou compensação por gastos extraordinários.”

Considero 1 pertinente falar, sobre um – Passe de papel amarelo – que era distribuído para todos quantos necessitassem circular a pé sobre a linha. Esses passes eram temporários e concedidos pelo Diretor. Têm igualmente a assinatura do Engenheiro da via.

Esse benefício 1era feito “…aos empregados, pais, mães, mulheres e filhos e aos irmãos menores, às irmãs solteiras que viverem com os mesmos empregados.”

Ainda uma nota relativa a passageiros menores que utilizem este meio “comboio” de transporte: determina que, só as crianças até aos 3 anos e na condição de irem ao colo, é-lhes permitido viajar de graça; dos 3 aos 7 anos, pagavam meio bilhete; e acima dos 7 anos, pagavam bilhete inteiro.

A título de curiosidade, creio também importante dar conhecimento ao leitor, da data de apresentação dos projetos ao Governo e a data de aprovação das linhas em construção.

Linha de Leste:

O projeto de via de Ponte de Asseca a Ribeira de Santarém, foi apresentado a 30 de Dezembro de 1859 e aprovado a 23 e 28 de Janeiro de 1860.

O projeto de via de Santarém a Constança, foi apresentado a 14 e 16 de Junho e 7 de Agosto de 1860 e foi aprovado a 21 de Dezembro de 1860.

O projeto de via de Constância a Torre das Vargens, foi apresentado a 25 de Abril de 1860 e foi aprovado a 12 e 30 de Junho de 1860.

O projeto de via de Torres das Vargens a Assumar, foi apresentado a 11 de Fevereiro de 1860 e foi aprovado a 19 de Maio de 1860.

O projeto de via de Assumar à fronteira, foi apresentado a 9 de Março de 1861 e foi aprovado a 10 de Abril de 1861.

Finalizo o artigo, aduzindo uma célebre frase alusiva aos caminhos-de-ferro de Mário Gonçalves Viana, contida num importante livro sobre caminhos-de-ferro: “Uma viagem é um filme”. “O comprimento de um comboio é a síntese da vida social e mental de um povo”.

Domingos Costa

PS: – Fotografias do arquivo da (CP).

[1] Pag. 91, 101 e 132 do livro de Legislação e Compilação de Diversos Documentos de 1916.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA


PUB
PUB

Últimas [Sociedade]