Rio Neiva

Rio Neiva e a “Elodea Canadensis”

3 Outubro 2017

Muito se tem falado nestes últimos tempos aqui no Vale do Neiva da infestante “Elodea canadensis” hidrofítico subjugado, plantas espontâneas da América do Norte, que tem um efetivo descontrole conhecido, em alguns pontos do rio Neiva. Como sabemos, a água demasiado rica em nutrientes acelera o crescimento e rápida propagação dessa infestante invasora, uma planta muito robusta que não pode ser desperdiçada, nos cursos de água, absorve rapidamente grande quantidade de nutrientes dissolvidos na água. Dotada de uma notável capacidade de propagação, em alguns locais surge o seu descontrole, provocado essencialmente por aumento da poluição. O efetivo controle dessa espécie invasora, é benéfico em rios e lagos, a sua total erradicação é muito prejudicial para o ecossistema, que beneficia e muito, pois, toda a fauna tem ali a seu habitat, o seu porto de abrigo, para sua defesa dos predadores, local de gestação e muita alimentação disponível, pois muitas espécies de invertebrados ali se alojam e procriam, é o ecossistema a funcionar em pleno, tirando toda a fauna benefício dessa disfunção. A oxigenação da água outro fator a ter em conta, pois essa infestante invasora tem essa capacidade de regeneração. Estudos científicos avançados comprovam que essa infestante aquática é muito utilizada em aquariofilia, pode ser colhida e as suas fibras aproveitadas para vários fins, e são muitos, que não vou aqui especificar. Uma intervenção desordenada e descontrolada num ecossistema, pode ter mais prejuízos que benefícios, é preciso antes de agir, fazer um estudo técnico-científico alargado para acautelar eventuais danos irreversíveis, na flora e fauna. Ao abrigo da lei, é obrigatório ter as autorizações necessárias, para se intervir em zona de leito, nessas e noutras situações, pois estão previstas coimas. Não esqueçamos também, que  a  natureza também se auto regula e regenera, a estação das chuvas que se avizinham a curto prazo e estas serão certamente  mais ou menos abundantes, provocando estas algumas cheias importantes, muito frequentes por causa das alterações climáticas, serão estas o regulador dos  vários desequilíbrios e atentados ambientais provocados essencialmente pelo ser humano. Teremos então depois “in-loco”,  um importante barómetro de medição, aí sim, será prudente e tempo de agir cirurgicamente, com cautela e ponderação, na Primavera do próximo ano. Conhecimento, sensibilização ambiental e ecológica, são fatores muito importantes a ter em conta, na resolução de problemas ambientais e ecológicos.

Departamento de Biologia do “Eco-Neiva”

m.l.valedoneiva@gmail.com


PUB
PUB

Últimas [Ambiente]