Religião

Clausura do processo supletivo de Maria da Conceição Pinto da Rocha

28 Outubro 2017

Com início às 17h00 do dia 17 de Outubro de 2017, realizou-se na Cúria Diocesana do Convento de S. Domingos em Viana do Castelo, uma solenidade sobre a Clausura do Processo Supletivo a favor de Maria da Conceição Pinto da Rocha, a “Serva de Deus”.

A cerimónia de clausura, da segunda fase, do Processo de Canonização da Fundadora da Congregação das Irmãs Reparadoras Missionárias da Santa Face, a “Serva de Deus”, Maria da Conceição Pinto da Rocha, foi presidida pelo Sr. Bispo Diocesano da Diocese de Viana do Castelo, Dom Anacleto Cordeiro Gonçalves de Oliveira.

Estiveram presente a testemunhar o ato diversos Padres.

Superiora Geral, Irmã Maria Fernanda de Oliveira Freire da Congregação das Irmãs Reparadoras Missionárias da Santa Face e outras Irmãs da mesma Congregação; também presenciaram o ato, outras Freiras de outras Congregações e, devotas (os) do circulo de Viana do Castelo e outras (os) vindas (os) de outros pontos do País, de Maria da Conceição Pinto da Rocha.

Padre Dário Simões da Costa Pedroso, sj. – Vice Postulador da Cura

Padre Dr. Eduardo Francisco Alves Ribeiro – Notário Adjunto

Monsenhor Dr. José Gomes de Sousa (Pároco em Ponte de Lima – Matriz – Juiz Delegado

O Sr. Padre Dr. José Correia Vilar, Pároco na Correlhã – Promotor de Justiça,

A abertura e Invocação do Espirito Santo foi proferida por D. Anacleto Oliveira.

O Sr. Padre Dr. José Correia Vilar, Pároco na Correlhã, explicou a razão do Suplemento de Instrução, pedido pela Congregação das Causas dos Santos. Também referiu que este processo, já tinha sido enviado a uns bons anos para a referida Congregação.

O Bispo Diocesano e o Juiz Delegado, declaram íntegros e autênticos: o Arquétipo, o Transunto e a Cópia Pública do processo informativo instruído pelo mencionado Juiz Delegado, sobre a vida, virtudes e fama de santidade, da “Serva de Deus” Maria da Conceição Pinto da Rocha.

Deu-se de seguida, os Juramentos do Portador designado do Bispo Diocesano, do Juiz Delegado, do Postulador e do Notário.

Depois do juramento, procedeu-se à leitura e assinatura das Atas.

Após as referidas assinaturas, foram inseridas as Cópias da Sessão de Clausura nas Caixas dos Autos do Processo.

Consumados os procedimentos predefinidos, as Caixas dos Autos do Processo, foram fechadas e lacradas, para posteriormente serem levadas para Roma.

Antes de finalizar a cerimónia, foi aplicada a Bênção.

A finalizar, todo o auditório em pé, cantou o refrão: Magnificat Magnificat. Cantando depois:

A minha alma glorifica o Senhor

E o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador.

Porque pôs os olhos na humildade da sua serva:

de hoje em diante me chamarão bem-aventurada todas as gerações.

O Todo-Poderoso fez em mim maravilhas:

Santo é o seu nome.

A sua misericórdia se estende de geração em geração sobre aqueles que O temem.

Manifestou o poder do seu braço e dispersou os soberbos.

Derrubou os poderosos de seus tronos e exaltou os humildes.

Aos famintos encheu de bens e aos ricos despediu de mãos vazias.

Acolheu a Israel, seu servo, lembrando da sua misericórdia,

Como tinha prometido a nossos pais, a Abraão e à sua descendência para sempre.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espirito Santo, como era no princípio, agora e sempre. Amem.

Prezado leitor, a partir de agora, é momento de ansiada espera. Como se espera um desfecho positivo, aguardemos, e esperemos, não demorado.

Obrigado “Serva de Deus”, pelo benefício concedido à humanidade.

Domingos Costa


PUB
PUB

Últimas [Sociedade]