Vila de Punhe

Queimada no Picoto com mais de 500 pessoas

13 Novembro 2017

A autarquia de Vila de Punhe em conjunto com o Núcleo Promotor do Auto da Floripes 5 de Agosto organizaram pela 8º vez uma caminhada noturna numa sexta-feira’13. Desta vez, o destino passou pelo Monte Roques, mais concretamente o Picoto onde se localiza o marco geodésico. A presente caminhada noturna ironiza o espírito de misticismo que envolve a sexta-feira’13 para, num ambiente de convívio, juntar aventura com cultura.

Em pleno Outono, a temperatura foi mais que simpática, convidando muitos a saírem do conforto dos seus lares para mais um evento que, convenhamos, já é uma referência e já se encontra consolidado.

No início da caminhada, o nevoeiro cerrado, que mais parecia um adereço cénico que um acaso meteorológico, foi-se dissipando à medida que aumentava a altitude. Já a meio do percurso e em pleno Monte Roques, o céu estava limpo e estrelado; e com a lua a fazer-se de convidada e a espreitar entre as cortinas da noite, o cenário era idílico e bucólico. No cimo, como se estivéssemos no Olimpo, viam-se os vales do Neiva e do Lima, e o oceano que os ampara, cobertos por um manto espesso de nevoeiro, onde ao longe sobressaía apenas o emblemático Templo de Santa Luzia.

O cenário foi o Picoto no Monte Roques. Com o ponto de partida no adro da Igreja Paroquial de Vila de Punhe, os mais de 500 caminhantes rumaram ao Monte Roques onde, no Picoto junto ao marco geodésico, assistiram à coreografia e ao esconjuro para depois beberem a queimada galega que esteve acompanhada de um punhado de castanhas e de línguas de gato. O percurso, antes de entrar no Monte Roques, serpenteou diversas ruas da parte alta da freguesia. O ambiente foi de festa com os bombos, as concertinas e os cantares, mas também com as matreirices “assustadoras” que surgiram ao longo do trajeto.

A autarquia e a associação demonstram que é possível, com resultados positivos e encorajadores, trabalhar em conjunto, envolver as pessoas e as instituições e melhorar a oferta cultural. O Luar’13, o projeto “Idoso+Ativo” e as Cantadeiras do Vale do Neiva foram, mais uma vez, parceiros na diversa animação que ponteou o percurso. A este envolvimento soma-se o diálogo de gerações onde os mais jovens e os menos jovens trabalham e aprendem em conjunto numa iniciativa profundamente popular.

São estas iniciativas distintas que possibilitam o convívio, a coesão e cooperação, como também hábitos saudáveis e uma necessária sensibilização para o património natural e cultural da nossa região.


PUB
PUB

Últimas [Região]